Por que eu desapareço de vez em quando?




Em primeiro lugar, não sou nenhuma inovadora nesse sentido. Conheço várias pessoas, incluindo amigos meus, que se cansam da internet e gostam de dar um tempo.

Já deletei minha conta do orkut e do Facebook mais vezes do que posso contar. Especificamente no final do ano passado eu apaguei tudo mesmo: Twitter, deviantArt e cia. Muitas coisas pra citar.

Quando se tem uma conta por muitos anos, as coisas começam a ficar velhas. Eu não gosto de pessoas comentando num post que escrevi cinco ou dez anos atrás. Não é por mal, mas sei lá o que eu escrevi nele e provavelmente nem concordo mais.

E tem outra coisa: quando eu começo a ficar muito pop (nem precisa ser tanto assim), por exemplo, quando os posts do meu blog começam a ter mais de 200 views, 500 ou mil views, eu acho exagerado. 

É claro que eu gosto de ser lida. Gosto que as pessoas leiam meus livros e as coisas que escrevo. Mas às vezes começa a ficar estressante, porque na internet a gente se expõe muito. E frequentemente há mal entendidos, discussões, etc. Isso estressa. 

Eu uso a internet pra relaxar e me divertir. Quando meus blogs começam a ficar muito vistos ou meu Facebook muito comentado, não sei. Eu ao mesmo tempo gosto e não gosto.

Confesso que nunca me esforcei muito para divulgar as minhas coisas. Só fui escrevendo e deu. Adoro minhas amizades da internet. Fiz amigos verdadeiros na internet que quero manter por toda a vida.

Mas eu não fui feita pra ser popular. Há pessoas que lidam bem com fama e exposição. Eu admiro pessoas que lidam bem com isso. Eu gosto disso somente até certo ponto.

Sou uma pessoa simples que gosta de ter uma vida simples no anonimato. OK, não completamente.  Se eu escrevo um livro que acho foda, é claro que quero pessoas lendo. Eu gosto de pessoas vendo minha opinião sobre as coisas e debater sobre isso.

Mas eu também gosto de ter tempo de ler meus livros, viver meu dia a dia e fazer minhas coisas sossegadamente. Quando tenho muitas visualizações nas minhas coisas e muitos comentários, acho o máximo, sério! Eu gosto de responder comentários, de falar com amigos.

No entanto, eu não consigo fazer mil coisas ao mesmo tempo, apesar de eu ser mulher. Se eu começo a ver que ando gastando umas duas ou três horas por dia só pra responder comentários e e-mails, pra lidar com toda a movimentação das minhas coisas da internet, ver todas as pessoas que sigo no Facebook, eu me sinto sufocada!

Aí quando estou prestes a explodir, apago todas as minhas contas da internet e passo por um período de paz. Alguns meses depois fico entediada e faço todas as minhas contas de novo, hehe.

Já segui esse padrão várias vezes e sei que no processo perco dezenas, centenas de leitores acompanhando minhas coisas. Mas eu não vivo só na internet. Tenho minha vida real: pessoal, profissional, espiritual, etc. E para me manter equilibrada não sou de muita agitação.

Eu consigo arranjar tempo pra ler, escrever e fazer minhas coisas (pra dormir, cozinhar, estudar, ter hobbies, etc) porque eu dificilmente passo mais de duas horas por dia na internet, não uso celular e vários outros fatores. 

Foi assim que aprendi a viver e não consigo me adaptar a essa nova geração que fica online 24 horas por dia. Mas eu respeito essa geração. Eu apenas não consigo ou não quero viver desse jeito.

Ou sei lá, vai que um dia eu me adapto. Mas por enquanto não. E tenho planos de passar cada vez mais tempo na vida real e menos na internet. Vejamos como vou conciliar.

Agora que faço parte da Chaos Girls, irei me manter ativa nos projetos, por isso não tenho planos de apagar minhas coisas tão em breve.



Comentários

  1. "E tem outra coisa: quando eu começo a ficar muito pop (nem precisa ser tanto assim), por exemplo, quando os posts do meu blog começam a ter mais de 200 views, 500 ou mil views, eu acho exagerado." ahaha achei isso sensacional, nunca pensei que leria isso de alguém com um blog, mas intendo essa coisa da exposição, também não sou muito fã, mas é claro que se eu tivesse um talento e ficasse famoso eu ia gostar, mas muito provavelmente chegaria uma hora que eu daria uma de João Gilberto / Belchior.

    ResponderExcluir

Postar um comentário