A Noite Escura do Caos: Capítulo 5: Os Cinco Mandamentos do Caos



(Leia a partir da Introdução)


Capítulo 5: Os Cinco Mandamentos do Caos


Atenção! Nós somos revolucionários da contracultura!
Atenção! Nós gostamos de valorizar teorias que hoje foram desprezadas e consideradas obsoletas por um grande grupo!
Atenção, isso não é uma piada!  
Atenção! Não preste atenção em mim.
Nós temos cinco mandamentos, porque 2+3 = 5.




Junte-se a nós como um membro da Flath Earth Society!
Ninguém pode provar que a Terra tem forma esférica. E mesmo se tiver, pode ser que ela mude de forma quando ninguém está olhando (como no princípio da incerteza de Heisenberg ou como o gato de Schrodinger que está ao mesmo tempo vivo e morto ou qualquer dessas coisas) e ela apenas finja ser redonda para enganar todo mundo.
Esse é nosso Primeiro Mandamento. Não importa se ele não faz sentido, pois você prova sua fé em Deus quando acredita em coisas sem sentido. Se fosse para acreditar em coisas que fazem sentido, seria muito fácil.






Sabemos que a monarquia é a melhor forma de governo. Para saber mais detalhes sobre isso, recomendo o livro “Our Pet Queen: a New Perspective on Monarchy” de John Higgs.
Atualmente há mais de quarenta países em que a monarquia funciona com sucesso, incluindo Japão e Reino Unido. Mas o nosso maior exemplo é a Suazilândia, com a monarquia absoluta do Rei Mswati III, cujo poder executivo e legislativo é supremo.
Já estamos cansados dessas brigas de partidos. A monarquia gera muito mais estabilidade e se gasta menos dinheiro com essa tal democracia.
Os filósofos da Grécia Antiga sempre debateram qual era o melhor sistema de governo e ninguém nunca chegou a uma conclusão. Enquanto eles continuam debatendo, vamos confiar na tradição.
Já que não podemos ter monarquia absoluta (um conceito muito avançado para a mente do século XXI), vamos defender a volta da monarquia parlamentarista no Brasil!






Além da briga por partidos, estamos cansados de ver a briga de capitalismo versus socialismo e esquerda versus direita.
Achamos que a Revolução Francesa foi um acontecimento desnecessário na história da humanidade. A democracia foi exercida em sua melhor forma: a cabeça de todos foram cortadas, sem distinção de credo ou classe social.
Tal como a monarquia e o cristianismo trazem estabilidade, assim também é com o feudalismo. Cada um agradece a Deus pelo que tem e faz o seu melhor onde está.
O feudalismo valorizou a agricultura e a vida no campo. Os mosteiros foram o melhor exemplo de socialismo voluntário e sem sangue que a história já conheceu. Até reis largavam tudo e iam morar nos mosteiros. Agricultores pobres podiam se tornar abades. Nem mesmo no século XXI é possível uma mudança de classe social tão veloz!
Nos dias de hoje as cidades estão abarrotadas de gente e se valoriza pouco a vida no campo. Como resultado, os alimentos ficam caros devido ao preço do transporte. E assim optamos por comidas industrializadas que fazem mal à saúde. Quando comemos os alimentos da terra são cheios de agrotóxicos para aumentar a produção e compensar a falta de agricultores.
Para saber mais detalhes, leia o livro “Um Esboço da Sanidade: Pequeno Manual do Distributismo” de G.K. Chesterton, teoria política e econômica com base no feudalismo, defendida por pensadores cristãos no século XX.




O sistema com base 10 foi criado apenas porque nós temos dez dedos nas mãos. Como 12 tem mais divisores que 10, a tabuada seria muito mais fácil de decorar e eliminaria muitas frações.
Se você concorda conosco, faça parte da Dozenal Society of America. Queremos a substituição do sistema decimal pelo duodecimal! Chega da tirania do dez! Jesus teve doze discípulos e não dez, demonstrando assim a supremacia espiritual do número doze. 

De acordo com Timothy Leary em “The Game of Life”, segundo Robert Anton Wilson e William Burroughs há 23 conspirações básicas. Quando adicionamos nós mesmos temos 24 realidades (e 12 x 2 = 24).  
 






Todo mundo sabe que a maior parte dos ocultistas e dos caoístas não gostam do cristianismo porque se sentiram reprimidos por ele na infância. Por isso, é simples intoduzir uma contracultura no ocultismo: basta defender tudo o que o ocultismo repele.
Mas quanto mais você defender esses mandamentos mais eles ficarão populares e se tornarão a nova regra. Por isso, esses mandamentos precisam ser alterados de tempos em tempos.
Como diria o Principia Discordia, eles são catmas e não dogmas.
Parece que este livro acabará aqui. Não porque eu não tenha outras coisas a dizer, mas porque a novela já vai começar.








Espera, espera!







Meu sigilo furou sua bola.






Comentários