Alegria, tédio, um pouco de tudo




Estou muito polêmica ultimamente. Gosto de escrever posts polêmicos em épocas que estou sem muito tempo pra ler ou escrever. Afinal, quando estou lendo e escrevendo fico envolvida com o conteúdo dos livros, mas quando estou sem isso aí começo a filosofar sobre as coisas da vida no meu blog.

Deve ser por isso que estou até com um pouquinho de tédio. Estou super ocupada, mas com tédio! Teoricamente, segundo os especialistas, tédio é o estado que descreveu Tolstói: o desejo por desejos, ou por realizar uma atividade. Mas eu estou realizando várias atividades!

Provavelmente quando estou com pouco tempo para me dedicar aos meus projetos pessoais, eu fico assim: ligeiramente entediada, mesmo com mil coisas pra fazer. Obviamente a solução para espantar o tédio não é se encher de atividades, mas ter uma ou duas atividades que tenham um significado para você. A questão não é número de atividades ou tempo que elas duram, mas a qualidade que elas têm.

Então a questão de "equilíbrio", de que devemos fazer um pouco de tudo, é meio falha. Devemos fazer as poucas coisas que consideramos importantes, que nos preenchem, nos dão aquela sensação maravilhosa. Ó, tem essa frase também:




Parece aquelas frases de Facebook, haha! Para a minha defesa, já li livros tanto do Tolstói quanto do Kierkegaard. Claro, eles são cristãos. Adoro autores cristãos.

Falando em Facebook, ainda estou suportando bravamente. Vamos ver quanto tempo eu aguento dessa vez sem apagar minha conta? Espero que eu dure pelo menos até o final do ano. Sei lá porquê. É apenas um prazo aleatório.

Eu estou muito feliz e hoje meu dia todo foi maravilhoso. Curioso que eu tendo a me estressar mais com coisas da internet do que com a vida real.

Acho que as novas gerações tendem a viver melhor na internet. Eu ainda gosto mais do mundo concreto, embora eu também goste de escrever histórias.

Talvez eu tenha sido meio dura com minhas críticas ao sistema de ensino no post anterior. Acho maravilhoso que existam colégios e universidades gratuitos no Brasil e que tenhamos alguns ótimos professores.

Não tenho nada específico para falar aqui hoje. Só queria dizer que estou alegre.

Não acho que pessimismo seja algo ruim. Eu tendo a ser otimista, mas eu não acho bom nem a pessoa que vê flores em tudo e ignora o sofrimento e nem quem vê dor em tudo e ignora as coisas boas da vida.

Eu gosto de ver lados bons nas coisas e nas pessoas, mas não sou uma Pollyanna. Pensando bem, nem a Pollyanna era tão radical. Talvez ela não seja um bom exemplo.

Quando há dor, eu não finjo que ela não está acontecendo. Eu reconheço a dor como dor, mas tento ver coisas boas nela como oportunidade para aprendizado em vez de me afogar nela. 

Cada vez mais eu conheço pessoas fortes e que lidam maravilhosamente com situações muito difíceis da vida. Espero que um dia eu tenha maturidade para ser assim também.

Vejo que é a religião o que mais dá força para as pessoas. Eu conheci alguns cristãos realmente admiráveis e desejei ser como eles, mas não cheguei tão longe. Parece que minha direção é outra, mas estou satisfeita.

No fundo, coisas como magia do caos e ocultismo não me completam totalmente como religião. Essas coisas são boas quando a vida está boa e você quer filosofar e falar sobre arte (Hermann Hesse menciona algo assim também). Quando a vida está ruim, o que funciona bem pra mim ainda é cristianismo, rezar, falar com Deus. Essas coisas são poderosas pra mim, talvez pela cultura na qual fui criada. Ou talvez possa ser um poder intrínseco da egrégora cristã.

De certa forma, a espiritualidade ainda é algo aberto na minha vida. Como eu disse, pode ser que eu ainda não seja madura o bastante para o cristianismo. Pode ser que quando eu tenha 40, 50, ou 60 anos eu em torne cristã ou outra coisa.

Mas prefiro não me preocupar. Tentei apressar isso na minha vida mas agora entendo que tudo tem seu tempo, assim como diz o capítulo 3 de Eclesiastes.



Comentários

  1. Honestamente, prefiro que sua conversão definitiva ao cristianismo demore muuuuito!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha! Da última vez só foi uma prévia ;)

      Excluir

Postar um comentário