Qualquer coisa




Essa é uma foto minha de outubro de 2014 quando eu tinha feito um corte no cabelo bem malucão, todo repicado. 

Eu pretendia escrever hoje um post sobre cristianismo ou sobre política (afinal, se eu quero ser polêmica devo falar de religião, política ou futebol) só que não vai dar tempo, pois me conhecendo bem vou escrever uma Bíblia (até que a metáfora cabe bem) quando falar desses assuntos. Eu me empolgo comigo mesma e começo a dar discursos.

Como já é uma da manhã e eu tenho que acordar as sete, mas não queria ir dormir sem escrever pelo menos qualquer coisa aqui, vamos lá. Não achei uma imagem rápida sem direitos autorais na internet, então resolvi procurar uma foto velha minha pra ilustrar o post.

Sério, eu tenho muita foto. Principalmente quando eu tinha 24 anos, pois nessa época comprei uma câmera cor-de-rosa e costumava tirar um bilhão de fotos. Incluindo selfies e fotos de espelho como essa porcaria aqui em péssima qualidade (tá até amarela). Falando nisso, usei a camiseta dessa foto recentemente num vídeo. Foi nesse. Bá, mas essa camiseta é velha hein!




Aos poucos fui aprendendo que tinha que fazer bom uso da luz do sol. Até hoje sou uma fotógrafa totalmente amadora. Até tem uma câmera profissional aqui em casa, mas eu não uso primeiro porque não sei usar direito. 

Eu sou um zero à esquerda com tecnologias porque tenho muita preguiça com isso.

Já tô até vendo que vou começar a escrever besteiras demais no meu blog e depois vou dizer: "droga, escrevi muita bobagem, melhor apagar esse blog e começar outro".

Eu devia escrever um post do tipo "10 coisas que você não sabe sobre mim", mas eu confesso que também não tenho a mínima paciência para esse tipo de coisa. Quem sabe quando eu estiver no humor e disposição corretos.

Parece aquelas coisas do Buda do Nobre Caminho Óctuplo: entendimento correto, pensamento correto, linguagem correta, ação correta, etc. É muita coisa correta! 

Quando eu fazia meditação hardcore eu pensava: "ah para, não vou fazer nada disso correto, só vou meditar aqui e sai o que der". No budismo Theravada quando você se senta tem que pensar: "a-go-ra-es-tou-me-in-cli-nan-do-a-go-ra-es-tou-me-abai-xan-do". Meu, eu achava isso um saco.

Deixa eu pensar o que eu acho um saco no cristianismo... difícil dizer, porque quando as pessoas dizem que acham A ou B um saco eu tendo a gostar ainda mais e defender ardorosamente só pra ser do contra.

Por exemplo, muita gente não aguenta ficar repetindo mil vezes o Pai Nosso e Ave Maria no rosário, então eu comecei a fazer isso por horas seguidas, me viciei nisso e ficava dizendo: "ADORO rosário, amo repetir um bilhão de vezes a mesma coisa" ou "ADORO ler aqueles livros intermináveis do Velho Testamento" e eu lia, lia e começava a sentir a adrenalina por estar fazendo algo difícil.

Aí o pessoal não gostava de se confessar. E eu comecei a ir me confessar várias vezes pro padre, toda semana, fazia uma lista das piores coisas que eu fazia e ficava lá uma hora empolgada conversando com o padre: "Simmm eu praticava magia, ocultismo, sabe? Pera, mas eu tenho muito mais pecados, tenho um monte mesmo!!"

Pior que se confessar é divertidíssimo, sério. 

Em poucas palavras, eu poso de séria, mas eu sou genuinamente infantil. Muitas coisas que eu faço na vida começa como zoação e depois fica sério.

Por que será que as pessoas me levam a sério? Eu não sei. Fale mal de alguma coisa, eu leio cem livros sobre o assunto, faço citações de autores consagrados e pronto. As pessoas me levam a sério. Fácil, né?

Deve ser porque eu mesma me levo a sério, até quando não estou séria.

Várias pessoas já falaram pra minha irmã que ela parece muito séria e braba. Acho que isso faz com que as pessoas tenham receio de se aproximar muito. Já ouvi também que eu tenho aparência meio "séria" também.

Será que é por isso que pouca gente se aproxima de mim? Eu vejo na internet as pessoas tipo "Migaaaaa!!" mas isso não acontece muito comigo. Será que as pessoas se sentem intimidadas comigo? Ou eu não dou espaço?

Sei lá. A vida por aí é muito complicada. Vivo com a cara enfiada nos livros conversando com autores medievais mortos há séculos, aí eu levanto a cabeça e percebo que hoje em dia as pessoas usam palavras diferentes.

Deus é legal, cara, eu realmente gosto de Deus. O Deus cristão é muito massa, sério mesmo. Você devia conhecer Jesus porque sei lá, tanta gente falando mal dele o tempo todo, mas o cara era tri de boas.

O Buda, eu gosto do Buda, mas todo mundo gosta do Buda, né? Sempre bem sossegado. Mas eu gosto mesmo é do Ananda, o secretário do Buda, porque ele era tri queridinho!

Todo cara fodão sempre tem um seguidor querido. O Ananda era o cara fofo que ficava do lado do Buda. E Pedro era o cara desajeitado que seguia Jesus. Sério, o Pedro é um amor! Teve uma vez que Jesus tava na praia, chamou eles e Pedro ficou tão feliz que pulou do barco, se jogou no mar e foi até lá nadando.

Galera fica falando que cristianismo é machista e sempre se esquecem da Maria. A Maria é mais poderosa que todos os anjos, sabiam?

Essa mania de querer ficar achando machismo em tudo, acho que às vezes o troço fica exagerado, entende? Você perde de descobrir muitos autores e religiões fantásticas com essa história de que fulano de tal é machista. Tudo bem, o sujeito pode até ser, mas isso não significa que ele não tinha outras qualidades e que seus escritos não eram fodas. 

Eu tenho várias defeitos e preconceitos e nem por isso quero que as pessoas deixem de ler meus livros porque sou isso ou aquilo. Sim, eu sou, mas eu também sou mais do que apenas isso, eu acho. 

Eu devia ter escrito meu post sobre política, porque esse era para ter sido um post curto com minha tentativa de ser informal e falar qualquer coisa, e abrir um diálogo com meus leitores, mas virou outra Bíblia.

Se eu fundasse uma religião acredito que eu teria alguns seguidores, mas eu não gosto do poder. Eu só gosto do poder por um tempo e depois eu me sinto vazia com ele e enjoo.

Minha intenção nesse post era falar um grande número de coisas inúteis, então acho que fui bem sucedida. Já deu de inutilidades por hoje.

Boa noite!



Comentários

Postar um comentário