Taiko



Hoje gravei um vídeo em que jogo Taiko (ou melhor, o Luiggi gravou). Eu já tinha gravado outro no ano passado, esse aqui.

Não quero usar um blog ou uma conta do Youtube pras minhas coisas de ocultismo e outra pra coisas pessoais. Vou colocar tudo numa só senão fica muita desorganização. Antigamente eu tinha muito blog pra atualizar por causa disso. Fica ruim tanto pra mim quanto pra quem me acompanha.

Minha irmã consegue fazer Full Combo em algumas músicas no Oni (o modo demoníaco) mas eu só consigo fazer Full Combo no modo difícil por enquanto. Nem ando treinando. Quando eu era adolescente jogava mais.

Essas músicas que eu gravei no vídeo não são muito difíceis. Qualquer hora eu gravo um vídeo fazendo 100% em uma música mais desafiadora.

Pelos posts dos meus blogs às vezes parece que eu só leio o tempo todo. É verdade que costumo ler na maior parte do tempo, mas eu também jogo videogame, assisto filmes, séries, enfim.

Parece que vai sair Taiko pro Nintendo Switch. Se sair, com certeza vou querer jogar. Eu só tenho Taiko no DS e no 3DS.

Agora vou preparar meu lanche (omelete de banana, adoro cozinhar, embora eu só cozinhe mais ou menos as mesmas coisas) e comer assistindo dramas coreanos. No momento estou assistindo "Oh My Ghost" no Netflix, que é um drama sobre culinária haha. Já assisti um bilhão de dramas coreanos (e alguns chineses e taiwaneses) até hoje.

Nunca encontrei um homem que gostasse de assistir dramas coreanos. É totalmente voltado pro público feminino: uma personagem principal mulher cercada de homens. Como a maior parte da literatura foi escrita com personagens principais homens, e mulheres com papeis secundários e patéticos (a mãe, a irmã ou a esposa/namorada) é um alívio que nos séculos XX e XXI exista uma maior preocupação em atingir o público feminino.

Obviamente essa maior preocupação envolve dinheiro, já que a indústria dos dramas coreanos envolve muita grana ehehe.


Comentários

  1. Meu Deus, quantas habilidades mais você possui?!
    Olha Drama coreano assim como você descreveu eu nunca vi, mas assisti alguns capítulos de "happy endings" e gostei bastante, gira entorno de um pai de família com câncer, como foi pelo canal Rede Brasil e o horário não me era favorável assisti uns 3-4 capítulos no máximo, apesar do tema delicado eu gostei porque não é aquele ambiente carregado das brasileiras em que só falta os personagens se afogarem no próprio veneno de tanta maldade ehehe e esses dramas assim eu to ligado que só rola beijoca no final, não é essa fodeção que rola por aqui ahuahauah.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha não que eu me incomode com fodeção, pode ser interessante nos contextos adequados, mas realmente os dramas coreanos em geral são mais comportados. É que existem certos limites sobre o que é permitido passar na TV em determinados horários. Já em filmes tem mais coisa liberada.

      Excluir

Postar um comentário