A Cabala Mística, por Dion Fortune




Ótimo livro, recomendo a quem quer saber mais sobre cabala.

Juro que não entendo como pessoas que elogiam tanto a cabala podem criticar tanto o judaísmo e o cristianismo. Além disso, Dion Fortune vem com a velha história de que a filosofia oriental e suas religiões seriam "mais avançadas" que as ocidentais. Então, que raios, por que estudar cabala?

A autora expressa diversos tipos de preconceitos do início ao fim da obra, que não citarei aqui. No entanto, eu também tenho meus preconceitos e não irei julgá-la por isso. A Bíblia, apesar de tudo, é um livro fascinante. E A Cabala Mística, por mais que a autora dê opiniões que não concordo, continua a ser um livro com informações valiosas.

Várias coisas no livro me chamaram a atenção, mas infelizmente eu não as anotei. Então irei citar de cabeça uma ou outra coisa que lembro.

Por exemplo, quando no Pai Nosso se diz "Venha a nós o vosso Reino", o "reino" aqui seria uma referência a "Malkuth". E a sephirah Tiphareth, da Beleza, é relacionada a Jesus.

Há algo interessante sobre os caminhos da Árvore da Vida. No Caminho da Flecha se percorre apenas o pilar central, da Suavidade, que seria a Via dos Místicos. E no Caminho do Relâmpago há a associação de Tiphareth com Geburah.

Pois então, é em Tiphareth que ocorreria a conversação com o Sagrado Anjo Guardião. Antes de chegar lá só seria permitido a visão do Anjo.

Vou te contar uma coisa: eu já li alguns livros sobre cabala na adolescência, mas nunca me aprofundei muito. Ao ler esse livro agora, após ter certa experiência com religiões indianas e magia de Abramelin, posso dar algumas opiniões possivelmente relevantes a respeito do que li.

No budismo existem dois caminhos para chegar à iluminação: O Caminho da Flor-de-lótus Vermelha e o Caminho da Flor-de-lótus Branca. O caminho vermelho exige mais estudo e uma prática gradual e estável, passo por passo.

Penso que o caminho vermelho budista seja análogo ao Caminho do Relâmpago da cabala. É evidente que na visão dos estudiosos da cabala ele pareça ter maior valor do que o Caminho da Flecha, que estaria acessível a qualquer místico sem estudos que se esforce bastante. 

Acho que esse pensamento tem muita relação com o desejo dos ocultistas de ser um clubinho exclusivo de iniciados e ter acesso a grandes segredos. É doloroso para eles que o "povão" (um pobre cristão que não sabe ler e escrever) chegue até o céu depois de esses intelectuais se esforçarem tanto em estudos.

Quem segue o Caminho da Flecha deverá passar pelo Abismo de Daath, que é uma etapa de sofrimento que irá nos purificar com fogo, para nos prepararmos para chegar às emanações mais elevadas. Por outro lado, o espertinho estudioso que segue o Caminho do Relâmpago poderá burlar esse esquema e escapar da Noite Escura da Alma?

Possivelmente uma das manias mais irritantes em estudantes da cabala (que também existe em alguns estudantes de astrologia, tarot, etc) é tentar descobrir "em que etapa da evolução espiritual você se encontra", tentar te encaixar no diagrama deles e te considerar inferior ou superior por isso. A relação disso seria te julgar pela leitura do teu mapa astral ou das cartas do tarot.

Mas nós sabemos muito bem que nosso mapa astral não é nosso destino. Nós podemos atuar para mudá-lo, da mesma forma que nossa estrutura de DNA não é estática, mas dinâmica, e pode ser alterada dependendo da nossa interação com o meio ambiente (uma área fascinante da biologia chamada epigenética).

Achei suspeito quando Dion Fortune comenta que, como meio de invocar o espírito de Deus, o cerimonial é superstição, mas como meio de invocar o espírito do homem é psicologia pura. E o que ela quer dizer com isso? Que a magia deve ser interpretada de forma meramente subjetiva e psicológica, como forma de atingirmos nosso Eu Superior e não para contatar entidades de fora?

Vemos vários exemplos na Bíblia de pessoas se comunicando diretamente com Deus e a própria autora admite que Enoch foi arrebatado aos céus sem passar pela morte, chegando diretamente a Kether, inacessível aos mortais.

Sendo assim, interpreto a posição dela como mero preconceito ao cristianismo e arrogância em achar que os ocultistas sabem segredos que nenhum estudioso cristão ou judeu jamais sonharia.

Depois de ler tantos livros de cristianismo no ano passado e me deparar com uma enorme quantidade de pesquisadores e exegetas extraordinários, eu me recuso a aceitar a arrogância dogmática de ocultistas que afirmam que "a nossa interpretação é a correta e a interpretação cristã é a errada". Está certo que os cristãos fazem a mesmíssima coisa, clamando que só a interpretação deles é a certa. Porém, ocultistas criticam os cristãos exatamente porque eles fazem isso, então não seria hipocrisia fazer exatamente a mesma coisa que eles criticam?

Eu acho ótima a visão dos ocultistas sobre a cabala, mas também acho ótimo a visão cristã. Por que exaltar somente uma? Por que os ocultistas não podem, uma vez na vida, deixar o velho preconceito da infância a respeito do cristianismo e reconhecer que, sim, eles possuem coisas de valor a nos ensinar?


Comentários

  1. análise bastante interessante, eu sempre acompanho os vídeos do Michael Laitman (tem livros dele lá no drive) no Youtube, é bem interessante, eu gosto muito, mas sempre tem aquele momento "kabbalah is the fucking method" kkk que irrita as vezes, no caso dele ele nem critica as religiões de forma direta, até porque ele também é judeu, mas sempre rola o lance de que a cabala foi dada a Abraão, e que os judeus se afastaram desse ensinamento, e que a correção do mundo depende do retorna à cabala e tal, recomendo A Cabala Revelada e Torre de Babbel (esse último nem é muito cabalístico, eu me recordo bem desse livro porque ele é apocaliptico kkkk sou fascinado pelo tema confesso kkk)

    Agora, uma recomendação do tipo tiro no escuro (porque eu não li o livro kkkkkk), dá uma lida no livro de Knorr Von Rosenroth, e porque eu to recomendando? porque o cara era um cabalista Cristão do séc XVII, talvez traga uma visão diferenciada da Cabala, mas eu só estou supondo eheheeh

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba! Muitíssimo obrigada pelas dicas, Bruno! Vou dar uma olhada nesses livros! :D

      Excluir

Postar um comentário